Pterossauro cinematográfico

Por Reinaldo José Lopes

Uma conexão China-Brasil que já rendeu uma série de descobertas de fósseis interessantes acaba de apresentar mais um monstro pré-histórico voador — e esse tem certo sabor cinematográfico. Os pesquisadores batizaram a criatura, um pterossauro (réptil voador da Era dos Dinossauros) de Ikrandraco avatar, em homenagem aos ikrans, uma das espécies de criatura voadora do filme “Avatar” (óbvio!). Vejam só que coisa linda.

Recriação artística do animal em ação (crédito: Chuang Zhao/Divulgação)
Recriação artística do animal em ação (crédito: Chuang Zhao/Divulgação)

Ah, dá pra ler de graça o artigo científico que relata a descoberta (em inglês) clicando aqui.

A equipe sino-brazuca é encabeçada por Xiaolin Wang, do Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleoantropologia da Academia Chinesa de Ciências, e conta ainda com Alexander Kellner, do Museu Nacional da UFRJ, e Taissa Rodrigues, da Universidade Federal do Espírito Santo.

Nosso bicho vem das rochas da formação Jiufotang, no nordeste da China. Apesar da aparente distância, o animal tem parentesco relativamente próximo com pterossauros que viveram por aqui, na chapada do Araripe (CE), como os do gênero Anhanguera. O nome científico se deve à semelhança com a criatura de “Avatar”, claro, mas as peculiaridades da morfologia do bicho deixaram a equipe intrigada.

O mais esquisito é a presença de uma crista óssea debaixo da mandíbula — em geral, pterossauros costumam ter cristas no alto da cabeça mesmo. Neste caso específico, a crista tem uma espécie de ganchinho ósseo que poderia servir para ancorar alguma estrutura de tecido mole (que, nesse fóssil, acabou se perdendo). Isso levou os cientistas a imaginar que o bicho talvez tivesse um papo dos grandes, mais ou menos como um pelicano. Pode ser que ele voasse perto da superfície da água de quando em quando, com a bocarra aberta, capturando presas dessa maneira e ensacando-as rapidamente em seu papo (digo “água” porque o grupo do bicho é famoso pela presença de comedores de peixe).

——

Quer saber quem sou? Confira meu currículo Lattes

Siga-me no Twitter ou no Facebook

Conheça “Além de Darwin”, meu primeiro livro de divulgação científica