Todos os cães merecem o céu #sqn

Por Reinaldo José Lopes

Se até o velho Homero cochilava, o venerando “New York Times” também pode cochilar — principalmente quando o assunto são lendas urbanas sobre o papa mais popular dos últimos tempos. Aliás, se botarem um menino e um cachorrinho falecido no meio da história, a narrativa fica irresistível demais e acaba nem sendo checada.

Estou falando, é claro, de mais uma suposta declaração bombástica do papa Francisco: “O paraíso está aberto a todas as criaturas do Senhor”. Saiu aqui nesta Folha a tradução da reportagem do “New York Times” na qual se relata um encontro entre Francisco e um garotinho cujo cão morreu, no qual o papa teria dito essa frase para tentar consolar o menino.

O problema, gentil leitor, é que pelo visto o pontífice hermano jamais pronunciou essa frase.

Para quem lê inglês, uma descrição detalhada da confusão está disponível no site Crux, do “Boston Globe”, dedicado a notícias sobre a Igreja Católica. Resumindo essa ópera bufa: na verdade, em certa audiência do mês passado, o papa havia citado textos de São Paulo, afirmando que o fim dos tempos, segundo a crença cristã, não será “a aniquilação do Cosmos e de tudo o que existe ao nosso redor, mas a transformação de todas as coisas na plenitude do ser”.

Aí alguns jornais italianos, como o “Corriere della Sera”, compararam essa fala com algumas frases do papa Paulo 6º (morto em 1978), essas sim dando a entender que voltaríamos a ver os animais que amamos na Terra quando estivermos “na plenitude de Cristo”.

Só que as manchetes desses textos deram a entender que o papa atual, e não o papa dos anos 1970, é que tinha dito isso. A partir daí, a mídia de língua inglesa completou a confusão e atribuiu tudo a Francisco de uma vez, aproveitando para pedir a opinião de teólogos, sociedades de proteção dos animais e grupos pró-vegetarianismo.

Em tempo: embora a tradição católica normalmente não atribua alma aos animais, o fato é que os cenários bíblicos sobre o fim dos tempos não tocam diretamente nesse assunto.

—————-

Conheça e curta a página do blog Darwin e Deus no Facebook

Quer saber quem sou? Confira meu currículo Lattes

Siga-me no Twitter ou no Facebook

Conheça “Além de Darwin”, meu primeiro livro de divulgação científica