Será Ele?

Por Reinaldo José Lopes
Será está uma imagem de Iahweh, o Deus bíblico? (Crédito: Reprodução)
Será está uma imagem de Iahweh, o Deus bíblico? (Crédito: Reprodução)

Será que esta moeda é uma das primeiras representações do Deus bíblico feita pelos judeus na Antiguidade?

Excelente pergunta, concordo, embora a resposta ainda nos escape. A moedinha de prata faz parte de uma série de cunhagens feitas entre 400 a.C. e 300 a.C. na chamada província de Yehud, que era o nome usado pela administração do Império Persa para designar a Judeia nessa época (lembrando: depois que Jerusalém foi destruída pelos babilônios em 586 a.C., os persas venceram a Babilônia e permitiram a reconstrução da cidade e do Templo judaico, dominando o Oriente Médio nos séculos seguintes).

Acontece que, nessa fase da história judaica, os governadores de Yehud começaram a produzir parte de sua própria moeda. Curiosamente, muitas vezes eles se inspiraram em modelos gregos — parece esquisito, mas algumas das moedas que circulavam na Judeia tinham a figura da deusa Atena e de sua coruja de estimação, simplesmente porque o pessoal copiava moedas atenienses na hora de cunhar as suas.

O caso da imagem acima, porém, é bem mais misterioso e complicado. Por um lado, a figura barbada, sentada num trono, com uma ave (de rapina?) nas mãos, lembra as imagens gregas do deus Zeus. Só que ela está sentada num trono com rodas e asas, como talvez vocês tenham notado. Bem, essa imagem do trono alado tem tudo a ver com as descrições do trono de Iahweh ou Javé, o Deus único israelita, na Bíblia. É por isso que a Arca da Aliança é encimada pelos querubins, seres alados sobre os quais Iahweh se assenta. Do mesmo modo, os textos do profeta Ezequiel falam num complicado e misterioso trono alado de Deus, e alguns salmos também usam essa imagem.

Tem mais uma complicação interpretativa nessa história. Normalmente os especialistas leem a inscrição no alto da moeda como “YHD” (Yehud; o hebraico e o aramaico não tinham vogais nessa época). Outros, porém, preferem a leitura “YHW” (Iahweh). Nesse segundo caso, a moeda poderia ter sido cunhada não na Judeia, mas na Samaria, mais ao norte, onde o Deus bíblico também era adorado, mas de um jeito aparentemente bem mais “sincrético”, ou seja, usando elementos das religiões pagãs. Aí a semelhança com Zeus faria mais sentido.

E quanto à proibição do uso de imagens na Bíblia? Pode ser que os judeus dessa época interpretassem a proibição como algo que valia apenas para imagens de culto religioso, e não para imagens em moedas. Esse tipo de interpretação certamente era possível — na época romana e bizantina, por exemplo, temos muitos casos de sinagogas ricamente adornadas com mosaicos representando cenas da bíblicas.

O mistério, por enquanto, permanece.

—————

Conheça “Os 11 Maiores Mistérios do Universo”, meu novo livro de divulgação científica

Conheça e curta a página do blog Darwin e Deus no Facebook

Quer saber quem sou? Confira meu currículo Lattes

Siga-me no Twitter