Fundamentalismo 101

Por Reinaldo José Lopes

Um recadinho para quem acha que a leitura literal e fundamentalista da Bíblia é “coisa da Idade Média”. Do livro “The Experience of God” (“A Experiência de Deus”), do teólogo ortodoxo britânico David Bentley Hart:

“Certamente a ascensão do movimento fundamentalista cristão não foi uma recuperação do cristianismo dos primeiros séculos ou da Igreja apostólica. Trata-se de um fenômeno completamente moderno, uma tentativa estranha e, de certo modo, pungentemente patética de cristãos culturalmente desenraizados, criados sem os recursos intelectuais ou imaginativos de uma civilização religiosa vivente, de imitar os métodos de busca de evidências da ciência empírica moderna, tomando a Bíblia como uma espécie de compêndio objetivo e impecavelmente consistente de dados históricos. É claro que é absurdo tratar a Bíblia dessa maneira — ainda que, francamente, não seja mais absurdo do que achar que ‘a ciência prova que Deus não existe’ –, mas também definitivamente esse tipo de leitura não é a maneira como a Bíblia era lida pela Igreja antiga e medieval.”

Fundamentalismo? Coisa do começo do século 20, minha gente.

‘Nuff said.

—————-