Reforma no Santo Sepulcro

Por Reinaldo José Lopes

Uma passadinha rápida por aqui para chamar a atenção do leitor para uma reforma das mais delicadas e históricas: especialistas gregos, da Universidade Nacional Técnica de Atenas, estão restaurando o Santo Sepulcro em Jerusalém — aliás, acabam de mexer no local exato onde, segundo a tradição, o corpo de Jesus Cristo teria sido colocado após a crucificação.

O momento em que os técnicos gregos retiraram a tampa de mármore (Crédito: Dusan Vranic/National Geographic via AP)
O momento em que os técnicos gregos retiraram a tampa de mármore (Crédito: Dusan Vranic/National Geographic via AP)

Você pode conferir a cobertura mais detalhada do projeto no site gringo da National Geographic, com vídeo e galeria de fotos. As análises e a restauração, coordenadas pela especialista grega Antonia Moropoulou, são históricas porque a plataforma de rocha calcária onde o cadáver de Jesus teria sido depositado não é exposta desde o século 16, pelo menos: desde então, tinha sido recoberta com uma espécie de tampa de mármore. A intenção dos pesquisadores é tentar entender melhor qual era o formato original da caverna antes da construção da Basílica do Santo Sepulcro ao redor dela.

A igreja e seus arredores já passaram por inúmeras reformas desde o século 4º d.C., quando o imperador romano Constantino mandou construir o santuário pela primeira vez, após liberar o culto cristão (antes perseguido por Roma) e aderir à nova fé. Hoje, uma estrutura especial, conhecida como Aedicula, circunda o local do sepultamento propriamente dito. Apesar da identificação tradicional do local com o túmulo de Jesus descrito nos Evangelhos, há historiadores que questionam a ideia de que Cristo teria recebido uma sepultura formal, uma vez que o costume romano era deixar o corpo de condenados à crucificação pendurado na cruz por vários dias.

——————–

Visite o novo canal do blog no YouTube!

Conheça meus livros de divulgação científica

Conheça e curta a página do blog Darwin e Deus no Facebook

Quer saber quem sou? Confira meu currículo Lattes

Siga-me no Twitter ou no Facebook