Bichos domésticos foram ‘arma secreta’ de europeus contra índios

Por Reinaldo José Lopes

Esqueça o Estado monárquico, as espadas e armaduras de aço, os canhões e outras armas turbinadas pela pólvora: o fator crucial para a vitória europeia contra os indígenas do Brasil e de outros lugares das Américas foi a presença de animais domesticados no Velho Mundo, enquanto eles quase não existiam por aqui. Esses bichos foram cruciais não só pelo seu uso direto, mas pelas doenças infecciosas que traziam. Entenda essa história no novo vídeo do canal do blog no YouTube.

Resumindo uma história comprida: a convivência de longo prazo entre os europeus e seus bichos domésticos levou ao surgimento de doenças infecciosas com tremendo potencial destruidor  — como o sarampo, a varíola e a gripe — derivadas desses bichos. Os europeus tiveram tempo de desenvolver resistência natural a essas doenças, as quais, enquanto essa capacidade não evoluiu entre os indígenas. Muitos europeus pegavam essas doenças quando eram pequenos e, se não morriam, ficavam imunes a elas pelo resto da vida.

O resultado, quando houve o contato, é o que costumo chamar de cenário de “Walking Dead”: mortandade em massa de gente de todas as idades — homens, mulheres e crianças –, com o resultado de uma profunda desarticulação das sociedades indígenas, às vezes antes mesmo do contado direto com os invasores.

Esse foi o caso do Império Inca, aliás — antes mesmo da chegada dos soldados espanhóis liderados por Francisco Pizarro, uma epidemia de varíola vinda dos domínios espanhóis do Panamá já estava dizimando os habitantes do império e desencadeando uma guerra civil.

É por isso que uma parte considerável do genocídio indígena foi não intencional — basicamente porque os europeus, nem ninguém daquela época, eram capazes de entender processos básicos de epidemiologia e transmissão de doenças, não sabiam que havia bactérias e vírus no mundo etc. Claro que eles pioraram muito a situação ao reunir muitos indígenas em espaços confinados nas missões religiosas e escravizando esses povos.

E por que os indígenas quase não chegaram a domesticar animais por aqui? Porque quase todos os mamíferos de grande porte e com estrutura social que favorecia a domesticação desapareceram nas Américas com o fim da Era do Gelo.

O vídeo explica tudo isso e muito mais — assim como meu novo livro, “1499: O Brasil Antes de Cabral”.

Mais vídeos sobre o Brasil pré-histórico? Confira abaixo!

Cidades perdidas do Xingu

Marajó, a “Veneza” pré-cabralina

1499 explicado em 1 minuto

———–

Visite o novo canal do blog no YouTube!

Conheça meus livros de divulgação científica!

Conheça e curta a página do blog Darwin e Deus no Facebook

Quer saber quem sou? Confira meu currículo Lattes

Siga-me no Twitter ou no Facebook