Darwin e Deus

Um blog sobre teoria da evolução, ciência, religião e a terra de ninguém entre elas

 -

Blog aborda os mais recentes estudos sobre a evolução do homem e dos demais seres vivos, explica o que a ciência tem a dizer sobre o fenômeno da fé e a história das religiões. É produzido pelo jornalista Reinaldo José Lopes.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

“Há grandeza nesta visão da vida”

Por Reinaldo José Lopes

Já que estamos na temporada das frases inspiradoras, e já que meu tempo continua curto, gostaria de voltar ao bom e velho Carlos Roberto, digo, Charles Robert Darwin e à conclusão de “A Origem das Espécies”. Estou traduzindo da maneira mais literal possível para tentar dar ao gentil leitor alguma ideia sobre o ritmo do texto original. As maiúsculas são as do próprio Darwin. Olha que graça de parágrafo.

“É interessante contemplar um barranco emaranhado, vestido com muitas plantas de muitos tipos, com pássaros cantando nos arbustos, com vários insetos voejando ao redor, e com minhocas rastejando pela terra úmida, e refletir que essas formas construídas elaboradamente, tão diferentes umas das outras, e dependentes umas das outras de maneira tão complexa, foram todas produzidas por leis agindo ao nosso redor. Sendo essas leis, tomadas no sentido mais amplo, o Crescimento com a Reprodução; a Hereditariedade, que é quase algo implicado pela reprodução; a Variabilidade a partir da ação direta e indireta das condições externas da vida, e do uso e desuso; uma Razão de Aumento tão elevada a ponto de levar a uma Luta pela Vida, e como consequência disso à Seleção Natural, produzindo Divergência de Caracteres e a Extinção das formas menos aperfeiçoadas. Assim, da guerra da natureza, da carestia e da morte, o objeto mais elevado que podemos conceber, ou seja, os animais superiores, diretamente deriva. Há grandeza nessa visão da vida, com seus vários poderes, tendo sido originalmente bafejados em umas poucas formas ou em uma só; e que, enquanto este planeta se manteve a circular de acordo com a lei fixa da gravidade, de tão simples começo infinitas formas belíssimas e mirabilíssimas evoluíram e estão evoluindo.”

Detalhe relevante pra história da ciência, em especial pra derrubar a versão simplificada dela que a gente aprende no colegial, digo, ensino médio: repararam nesse papo de “condições externas da vida”, “uso e desuso”? Pois é, gente bonita, Darwin era “lamarckista”, como se diz. Achava que a girafa podia ter ganhado pescoço longo de tanto esticá-lo e passado essa característica adiante.

Blogs da Folha