Darwin e Deus

Um blog sobre teoria da evolução, ciência, religião e a terra de ninguém entre elas

 -

Blog aborda os mais recentes estudos sobre a evolução do homem e dos demais seres vivos, explica o que a ciência tem a dizer sobre o fenômeno da fé e a história das religiões. É produzido pelo jornalista Reinaldo José Lopes.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

O tigre de papel do determinismo genético

Por Reinaldo José Lopes

Algumas pedras preciosas de bom senso que andei lendo recentemente.

“Os genes não ficam mandando ‘faça isso, faça aquilo’ o tempo todo. Mesmo em organismos sem mentes, mesmo em organismos de uma única célula, o que os genes fazem é estabelecer regras do tipo ‘se [algo acontecer] então [adote tal estratégia] que são sensíveis a contextos. E isso é ainda mais verdadeiro no caso de criaturas com algum tipo simples de mente, para não falar de criaturas com inteligência. Deveríamos ver os genes não como os que negam o papel do ambiente, mas como ferramentas para extrair informação do ambiente” — essa é do professor de literatura e escritor Brian Boyd, especialista na obra do ficcionista Vladimir Nabokov (mais conhecido como o autor de “Lolita”).

“A psicologia evolucionista afirma que vários aspectos da nossa personalidade têm raízes profundas nos nossos genes, mas não sugere nem por um momento que qualquer emoção em especial é tão avassaladora que impede o autocontrole ou o juízo racional. As afirmações da psicologia evolucionista são sobre as origens e a profundidade de tendências particulares, e não sobre uma suposta força patológica delas” — essa é da filósofa Janet Radcliffe Richards.

Em vez de temer nossos genes, vamos entendê-los.

Bom começo de semana pra todo mundo!

Blogs da Folha